Pesquise a sua casa passo a passo

SIGA OS SEGUINTES PASSOS PARA OBTER O SEU RELATÓRIO DE VALOR IMOBILIÁRIO

  • 1 Preencha o formulário abaixo com os dados do fogo cujo valor/renda pretende determinar.
  • 2 Confirme antes de submeter o formulário.
  • 3 Preencha os campos com os seus dados de contacto.
  • 4 Proceda ao pagamento eletrónico do serviço. Cada Relatório tem um preço de 30,00€.
  • 5 Os dados do imóvel serão reportados à Confidencial Imobiliário (Ci) que em 24 horas* devolve um relatório por via eletrónica. Antes de serem enviados, os resultados são validados por um técnico da Ci, recorrendo à análise estatística do mercado / tipologia selecionados.
  • * No caso de pedidos realizados aos sábados, domingos ou feriados, ou após as 18h00, as 24 horas contam-se a partir das 9h00 do 1º dia útil seguinte.

Notícia

Imobiliário nacional regressa a Paris

A sétima edição do Le Salon de l'Immobilier et du Tourisme Portugais à Paris decorrerá de 18 a 20 de Maio de 2018 no parque de Exposições da Porte de Versailles em Paris.

Segurança é um dos fatores que mais pesa na escolha de Portugal

O SIPP resulta de uma ideia pensada desde 2010 pela Câmara de Comércio e Indústria Franco Portuguesa e teve a sua primeira edição em setembro de 2012. O contexto do sector permitiu que ações como esta pudessem contribuir para uma internacionalização do imobiliário português junto de uma população francesa com vontade de expatriação e poder de compra.

O público-alvo do salão inclui a comunidade lusófona radicada em França, particulares e empresários, estimados em mais de 2,5 milhões de pessoas, das quais 45 mil empresários; franceses, particulares, interessados em investir em imobiliário fora de França (com ênfase nos seniores, que representam um quarto da população francesa, e nos profissionais liberais), bem como fundos de investimento imobiliário franceses, estimados em cerca de 40.

Recorde-se que a sexta edição recebeu mais de 16 mil visitantes, dos quais 83% eram franceses, 84% acima dos 35 anos e 55% acima dos 50 anos. Do total, 25% eram reformados e 45% visitantes empresários ou quadros superiores.

Por outro lado, segundo a CCIFP, 82% dos visitantes estão interessados por visitar as diferentes regiões portuguesas (Lisboa, Algarve, Porto e Norte no topo das preferências), sendo que 46% vão adquirir no prazo de dois anos e 26% no prazo de seis meses (40% de moradias, 43% apartamentos, 23% residência principal e 15% investimento locativo).



Montra privilegiada

O salão é já reconhecido como uma montra privilegiada do imobiliário nacional em França, cativando uma larga franja dos investidores franceses e luso-descendentes para a oferta nacional. Desta forma, contribui para “a internacionalização do imobiliário português junto de uma população francesa com vontade de expatriação e poder de compra”.

De acordo com Carlos Vinhas Pereira, presidente da Câmara de Comércio e Indústria Franco-Portuguesa o mercado francófono assume-se como um dos mais importantes no balanço das vendas de imobiliário e turismo residencial português a estrangeiros. “Uma campanha de comunicação anual que toca 35 milhões de franceses tem de ser naturalmente importante e consequente, particularmente quando a ação tem uma continuidade de seis anos”, assegura Carlos Vinhas Pereira.

Mas o presidente da CCIFP acrescenta igualmente “a importância no que respeita a formação e aconselhamento dos atores portugueses, dos diferentes sectores de atividade, em trabalhar com o mercado francês”, destaca. O mesmo responsável salienta ainda o incentivo de “regiões e concelhos portugueses pouco conhecidos do mercado francês a promoverem-se e alavancarem investimento direto estrangeiro. É um trabalho que é feito durante todo o ano pela Câmara de Comércio e Indústria Franco-Portuguesa e cujo corolário é o SITPP”.

A própria dinâmica do mercado português reflete-se na organização do evento. “A dinâmica atual do mercado resulta em grande parte da quota do investimento estrangeiro no total das transações imobiliárias em Portugal”, resume Vinhas Pereira. “O crescimento do turismo, o regime de alojamento local colocado em vigor e as plataformas de arrendamento de curta duração potenciaram este investimento”, afirma.

Um dos factores que mais peso tem na escolha de Portugal como destino de compra de imóveis por parte de investidores franceses é a segurança. Trata-se assim de um bem não tangível que Portugal conquistou a outros mercados que eram prioritários para os franceses, nomeadamente o Norte de África, mas também, e cada vez mais, à própria França.