Pesquise a sua casa passo a passo

SIGA OS SEGUINTES PASSOS PARA OBTER O SEU RELATÓRIO DE VALOR IMOBILIÁRIO

  • 1 Preencha o formulário abaixo com os dados do fogo cujo valor/renda pretende determinar.
  • 2 Confirme antes de submeter o formulário.
  • 3 Preencha os campos com os seus dados de contacto.
  • 4 Proceda ao pagamento eletrónico do serviço. Cada Relatório tem um preço de 30,00€.
  • 5 Os dados do imóvel serão reportados à Confidencial Imobiliário (Ci) que em 24 horas* devolve um relatório por via eletrónica. Antes de serem enviados, os resultados são validados por um técnico da Ci, recorrendo à análise estatística do mercado / tipologia selecionados.
  • * No caso de pedidos realizados aos sábados, domingos ou feriados, ou após as 18h00, as 24 horas contam-se a partir das 9h00 do 1º dia útil seguinte.

Notícia

Investimento recorde em escritórios pode ultrapassar os mil milhões este ano

A forte atividade ocupacional do mercado de escritórios está a motivar cada vez mais o crescimento do interesse dos investidores.

Nos primeiros 9 meses do ano, o investimento em ativos de escritórios atingiu um novo máximo histórico, num total de 650 milhões de euros. Depois deste recorde, a Cushman & Wakefield estima que o volume total investido neste segmento no fecho do ano se situe perto dos mil milhões de euros, podendo mesmo ultrapassar este valor, e representando um crescimento de mais de 36% face ao ano passado.

O investimento estrangeiro está a liderar a atividade, representando mais de 96% do capital investido. Os investidores do Reino Unido distinguem-se, representando 71% do total investido, seguidos pelos espanhóis e alemães.

Até setembro, o maior negócio do ano foi a venda do Lagoas Park, da Teixeira Duarte, aos britânicos da Kildare Partners, por 375 milhões de euros. Destaque ainda para a compra da Torre Zen, no Parque das Nações, pela Merlin Properties, ou da venda do Expo Finanças pela Selecta a um investidor estrangeiro.

De acordo com a consultora, o mercado está a bater recordes a vários níveis. Só em setembro, a procura de escritórios ultrapassou os 133.000 metros quadrados, mais 17% face ao período homólogo. A taxa de desocupação está em níveis históricos, nos 7,2%, sobrando pouco mais de 330.000 metros quadrados livres na Grande Lisboa.

Nota ainda para os setores tecnológicos, de serviços partilhados e espaços de coworking, que estão a ser os ocupantes mais ativos do mercado.