Pesquise a sua casa passo a passo

SIGA OS SEGUINTES PASSOS PARA OBTER O SEU RELATÓRIO DE VALOR IMOBILIÁRIO

  • 1 Preencha o formulário abaixo com os dados do fogo cujo valor/renda pretende determinar.
  • 2 Confirme antes de submeter o formulário.
  • 3 Preencha os campos com os seus dados de contacto.
  • 4 Proceda ao pagamento eletrónico do serviço. Cada Relatório tem um preço de 30,00€.
  • 5 Os dados do imóvel serão reportados à Confidencial Imobiliário (Ci) que em 24 horas* devolve um relatório por via eletrónica. Antes de serem enviados, os resultados são validados por um técnico da Ci, recorrendo à análise estatística do mercado / tipologia selecionados.
  • * No caso de pedidos realizados aos sábados, domingos ou feriados, ou após as 18h00, as 24 horas contam-se a partir das 9h00 do 1º dia útil seguinte.

Notícia

Millennium bcp regressa aos leilões, desta vez com uma inovação, e promove venda de 75 imóveis residenciais

O Millennium bcp vai realizar um leilão invertido com um total de 75 imóveis, todos habitação, com localização em sete distritos distintos: Leiria, Portalegre, Beja, Évora, Faro, Castelo Branco e Setúbal. A ação terá lugar no dia 14/12/2019 às 15 horas no Vip Grand Lisboa Hotel & SPA – Av. 5 Outubro 197, Lisboa

São 75 imóveis residenciais, localizados em 7 distritos do país que estarão em leilão no dia 14 de dezembro 2019, uma ação organizada pelo Millennium bcp e realizada em conjunto com a Euro Estates Mediação Imobiliária, Lda.

Esta instituição bancária decidiu, após alguns anos sem utilizar este formato de comercialização, dinamizar determinados mercados onde existe procura e apresentar a sua carteira residencial num formato apreciado, acreditando que poderá ser uma oportunidade para ambas as partes, oferta e procura. “Atendendo às características dos ativos envolvidos, a promoção e venda por intermédio de leilão é, na nossa opinião, uma boa opção, regressando a um canal que foi muito utilizado no passado e positivamente”, disse ao Público Imobiliário Carlos Nunes, responsável de vendas Retalho Sul da Direção de Crédito Especializado e Imobiliário do Millennium bcp.

O responsável avança ainda que pelo facto de o banco não utilizar esta modalidade há já algum tempo, pretende que a mesma seja vista como uma espécie de inovação. “Efetivamente, este leilão integra uma novidade, com a qual esperamos gerar impacto no mercado e interesse por parte dos investidores. Só o facto de ser denominado por leilão invertido desperta a atenção”.

Apesar de a ação de comercialização ser designada por ‘leilão’, o seu formato segue uma estrutura diferente do leilão comumente conhecido e será uma novidade em Portugal – Leilão Invertido. Para além de ser uma inovação no nosso país, o leilão invertido tem como objetivo não dar a conhecer ao mercado o valor pelo qual o banco está disposto a alienar cada um dos imóveis.

Diogo Livério, responsável pela EuroEstates, explicou que o leilão invertido é baseado no modelo holandês, utilizado para vender as tulipas, produto perecível que tem de ser vendido no próprio dia. “Assim, o leilão começa de cima para baixo, isto é, após o valor de arranque o pregoeiro vai pedindo valores sucessivamente mais baixos, até alguém licitar. A partir daí, o pregoeiro inverte o processo e pede lances mais altos, desenrolando-se o processo, se as pessoas licitarem, como um leilão tradicional”.

Já Carlos Nunes avança que a expectativa do Millennium bcp é de boa aceitação por parte dos investidores, não só porque a iniciativa tem caraterísticas de funcionamento diferentes das que já realizaram, mas porque são simples e apelativas. “Em acréscimo, o lote de imóveis é geograficamente mais disperso do que habitualmente era, situação que consideramos relevante para incentivar e atrair investimento noutras zonas que não só para imóveis da grande Lisboa como fazíamos”.



A carteira em leilão

A composição da carteira em questão conta, fundamentalmente, com apartamentos e moradias, num total de 75 imóveis e cujo valor global de licitação representa mais de 6,5 milhões de euros. São 14 apartamentos de tipologias T1 a T4, com áreas de 42 m2 a 204m2e valores de licitação entre 20 mil a 140 mil euros; 60 moradias de V0 a V5, com áreas entre 44 m2 e 464 m2 e valores de licitação entre 17 mil a 389 mil euros, algumas com terreno associado; e 1 imóvel misto, composto por um terreno rústico de 26 hectares e uma habitação térrea com 96 m2 de construção antiga em alvenaria de pedra.

A divulgação desta ação está a acontecer através dos media, a par da divulgação nos meios internos do banco, nomeadamente através do site do Imobiliário em www.millenniumbcp.pt, assim como através da rede de sucursais. “Em paralelo, a EuroEstates está também a fazer a divulgação no mercado pelos seus canais habituais”, esclareceu Carlos Nunes. “Toda a logística, marketing e comunicação seguem o modelo já amplamente testado nos leilões efetuados pela EuroEstates, apenas com a nuance da comunicação ter de explicar melhor e da forma mais direta possível, como se processa este leilão”, acrescentou Diogo Livério.

No passado, os leilões do Millennium bcp atraíam, em larga maioria, investidores que os viam como uma boa oportunidade de investimento para revenda de imóveis, não obstante termos sempre a participação de vários compradores finais. “No leilão que agora vamos realizar, contamos com a adesão de um maior número de compradores finais, não só devido à realidade do mercado imobiliário atual, como às características dos imóveis envolvidos. São 75 lotes (imóveis), todos habitação, com localização em 7 distritos distintos, Leiria, Portalegre, Beja, Évora, Faro, Castelo Branco e Setúbal”, explanou Carlos Nunes.

Já Diogo Livério, admite que o público-alvo é o mesmo dos leilões tradicionais, pois só a metodologia difere. “Estamos a falar de clientes particulares que compram para utilização própria e de clientes investidores que tentam aproveitar a oportunidade para posteriormente gerar uma maior valia”.





Condições de participação

O leilão tem condições de participação que se iniciam com a necessidade de inscrição junto da leiloeira, a qual atribui ao participante uma raqueta numerada e este fará a entrega de um cheque caução à ordem da leiloeira, no valor de 1.750€, bem como uma declaração assinada. No final do leilão, caso não tenha adjudicado qualquer lote do leilão, será devolvido o cheque caução ao participante mediante a entrega da identificação numérica atribuída ou apresentação de Contrato Promessa de Compra e Venda (CPCV) devidamente assinado comprovando a sua ou suas adjudicações.

As condições contratuais/CPCV a subscrever no dia do leilão, são as seguintes: Sinal de 1.750 € para negócios de valor inferior a 100.000€ ou de 5% do valor do negócio se este for superior ou igual a 100.000€; Prazo para escritura de 60 dias e possibilidade de 1 prorrogação de 30 dias, contra reforço de sinal mínimo de 5%.