Pesquise a sua casa passo a passo

SIGA OS SEGUINTES PASSOS PARA OBTER O SEU RELATÓRIO DE VALOR IMOBILIÁRIO

  • 1 Preencha o formulário abaixo com os dados do fogo cujo valor/renda pretende determinar.
  • 2 Confirme antes de submeter o formulário.
  • 3 Preencha os campos com os seus dados de contacto.
  • 4 Proceda ao pagamento eletrónico do serviço. Cada Relatório tem um preço de 30,00€.
  • 5 Os dados do imóvel serão reportados à Confidencial Imobiliário (Ci) que em 24 horas* devolve um relatório por via eletrónica. Antes de serem enviados, os resultados são validados por um técnico da Ci, recorrendo à análise estatística do mercado / tipologia selecionados.
  • * No caso de pedidos realizados aos sábados, domingos ou feriados, ou após as 18h00, as 24 horas contam-se a partir das 9h00 do 1º dia útil seguinte.

Notícia

Millennium vende espaços comerciais em Lagos

São 29 os espaços comerciais que o Millennium bcp tem disponíveis para venda no Condomínio do Infante, em Lagos. As áreas variam entre os 30,68 m2 e os 158,78 m2, com preços entre os 66.000 euros e 267.500 euros.

O Millennium bcp colocou para venda no mercado 29 espaços comerciais situados no Condomínio do Infante, em Lagos. Este empreendimento residencial é composto por três blocos, num total de 64 fogos, 46 espaços comerciais situados ao nível do rés-do-chão, 341 lugares de estacionamento e 116 arrecadações e com uma localização privilegiada.

Como mais-valia, o condomínio tem, desde logo, uma localização privilegiada face à marginal de Lagos e aos seus pontos turísticos, como a Marina, o centro histórico de Lagos e as praias mais conhecidas, como a Meia Praia. Está a 50 metros da principal artéria da cidade, a Av. dos Descobrimentos e em frente à Câmara Municipal.



Excelentes condições estruturais

O Condomínio do Infante usufruiu de excelentes condições estruturais para dispor de uma oferta comercial e de serviços necessária ao dia a dia dos seus residentes. E é neste contexto que os espaços comerciais ainda disponíveis e que o banco tem para venda são excelentes oportunidades de investimento/compra para quem ali queira desenvolver um negócio com retorno, quer sejam cafés, cabeleireiros, sapatarias, clínicas, agências bancárias, escritórios, mercearia, entre outras finalidades.

Convém salientar que 2017 o banco divulgou a comercialização da componente residencial, num total de 44 apartamentos em venda e atualmente escriturados. Do total de 41 espaços comerciais detidos, produto menos vendável comparativamente ao residencial, atualmente estão apenas 29 disponíveis. No Bloco 1 situam-se 21, nos blocos 2 e 3 estão 1 e 7 respetivamente. Cada espaço é composto por uma área ampla e um wc, um pé direito com entre 3,75 e 3,86 m. As áreas variam entre 30,68 m2 e 158,78 m2, com preços entre 66.000 e 267.500 €.

Outro aspeto que convém salientar é que estes espaços, ao estarem agregados, ou de alguma forma concentrados numa praça central, a sua venda poderá ser interessante pela totalidade dos imóveis em venda. “Com este enquadramento, é fácil desenhar aqui um centro de atividades comerciais e de serviços para, não só conjugar o que já existe no local como oferta, como preencher com oferta complementar ou mesmo apelativa a outros gostos e a outras necessidades. Como podemos entender, o processo de venda não se esgota na venda peça a peça, mas numa visão integrada com uma finalidade específica que o possível investidor idealizar para o local”, descreve o banco.



Expectativas positivas

Carlos Nunes, responsável de Vendas Retalho Sul, da Direção de Crédito Especializado e Imobiliário do Millennium bcp, salientou ao Público Imobiliário que a comercialização de imóveis não residenciais segue um caminho diferente daquele que tem por base imóveis residenciais, estes últimos de mais fácil comercialização e com menor tempo de absorção. No entanto, o responsável enfatiza que dado tratar-se de uma área em expansão, “acreditamos que seja importante dotá-la de uma oferta comercial e de serviços úteis para a procura natural das populações residentes. Neste contexto, e dada a sua localização, acreditamos ser evidente a oportunidade que as 29 lojas constituem para quem pretender ali desenvolver o seu negócio, pelo que as nossas expetativas são muito positivas”.

No entanto, e sem pretenderem limitar as necessidades e os interesses dos compradores/investidores, uma vez que a estratégia comercial do banco tem apenas como objetivo a venda destes ativos, Carlos Nunes considera que a forma de escoamento mais natural será através da venda loja a loja. “No entanto, dependendo da atividade a desenvolver e consequente necessidade de espaço, a venda poderá vir a ser feita pela totalidade a um investidor apenas ou a vários por grupos de lojas”.

Carlos Nunes advoga, até pela experiência que o banco tem na venda dos restantes espaços comerciais, que “tendo em conta a sua localização privilegiada, quer face à componente turística de Lagos, quer face à tendência de expansão da cidade por essa zona, com repercussões no aumento da procura pelo comércio local, acreditamos serem espaços apelativos para novos negócios e, como tal, de escoamento facilitado”.



A “estabilidade” de Lagos

Lagos está para Faro como Cascais está para Lisboa. Esta foi a forma mais simples que Sandra Matos, da Engel & Völkers, parceiro do Millennium bcp na venda dos ativos, encontrou para caracterizar a cidade onde estão localizados os imóveis comerciais que o banco tem agora para venda. “É uma zona que não é tão sazonal como outras do Algarve. Ou seja, tem turismo, claramente, mas o ano inteiro, sendo que o centro da cidade, onde está implantado este condomínio, tem sempre gente e não apenas nos grandes picos de férias. Isto aporta um maior potencial para o comércio relativamente a outras zonas do Algarve e que se tem vindo a refletir precisamente na procura dos espaços comerciais”. Aliás, Sandra Matos mencionou que é característica de Lagos ter os denominados turistas residentes. “Para os clientes Golden Visa, os espaços comerciais são produtos muito interessantes, já que fazem um investimento imobiliário e daí retiram rendimentos”.

E uma vez que, segundo Sandra Matos, há mais clientes a quererem arrendar do que comprar, também aqui estes ativos podem ser uma solução já que “o banco tem condições de leasing vantajosas”.