Pesquise a sua casa passo a passo

SIGA OS SEGUINTES PASSOS PARA OBTER O SEU RELATÓRIO DE VALOR IMOBILIÁRIO

  • 1 Preencha o formulário abaixo com os dados do fogo cujo valor/renda pretende determinar.
  • 2 Confirme antes de submeter o formulário.
  • 3 Preencha os campos com os seus dados de contacto.
  • 4 Proceda ao pagamento eletrónico do serviço. Cada Relatório tem um preço de 30,00€.
  • 5 Os dados do imóvel serão reportados à Confidencial Imobiliário (Ci) que em 24 horas* devolve um relatório por via eletrónica. Antes de serem enviados, os resultados são validados por um técnico da Ci, recorrendo à análise estatística do mercado / tipologia selecionados.
  • * No caso de pedidos realizados aos sábados, domingos ou feriados, ou após as 18h00, as 24 horas contam-se a partir das 9h00 do 1º dia útil seguinte.

Notícia

“O turismo de luxo em Portugal está ao nível do que melhor se faz no mundo”

Um dos grandes problemas é a falta de capacidade do Aeroporto de Lisboa, pois não há alternativa. É também necessário que a TAP dê mais apoio ao maior destino turístico de Portugal: o Algarve.







Hoje, que papel quer ter a APR no setor?

Pretendo contribuir para que a Associação Portuguesa de Resorts (APR) reforce a promoção e união do Turismo, em particular do Turismo Residencial. Será importante que este se torne cada vez mais competitivo em território nacional e internacional.



E quais as ações programadas para o corrente ano?

Temos já programadas algumas ações e participações em iniciativas internacionais. Destaco algumas: a conferência anual do turismo residencial e do golfe; participação coletiva no salão Buying Property Abroad em Estocolmo, nos salões Moving to Portugal em Londres e em Birmingham, no salão Second Home Expo em Utrecht, no salão do Turismo e do Imobiliário Português em Paris e no salão Overseas Property, Immigration and Investment Exhibition em Xanghai. Temos também prevista a realização de workshops How to Sell Successfully to Belgian, Dutch and Swedish Clients em Lisboa e Faro. Pretendemos melhorar o portal da APR e investir em estudos de mercado internacionais.



O que tem vindo a mudar especificamente neste setor nos últimos anos?

Nos últimos anos Portugal tem-se tornado um país mais forte turisticamente. No Algarve continuamos a ter a comunidade britânica como um dos principais mercados, seguidos pelo mercado nacional, mas há outros mercados emergentes, como o francês, que têm vindo a crescer nos últimos anos. O turismo de luxo em Portugal está ao nível do melhor se faz no mundo e queremos continuar a apostar nesse segmento. Tanto ao nível do golf como agora, numa tendência crescente, ao nível do “well being”, Portugal tem infraestruturas ao mais alto nível que acompanham as tendências de cuidados de saúde e bem-estar, que têm estado internacionalmente a ditar tendências.



Dentro do imobiliário, como descrevem a área de resorts e empreendimentos turísticos de qualidade?

Em Portugal temos um turismo residencial de luxo de grande qualidade. Na APR pretendo não só contribuir para unificar todos os “players” na área do turismo, como também acrescentar valor ao sector do turismo residencial e ser porta voz dos nossos associados.



Pela vossa experiência, Portugal está bem posicionado no setor?

Sem dúvida. Mas temos de crescer, temos de contribuir para unificar o setor e temos de ter uma voz mais ativa.



O que, definitivamente, poderia ser melhorado?

Um dos grandes problemas é a falta de capacidade do Aeroporto de Lisboa, pois não há alternativa. É também necessário que a TAP dê mais apoio ao maior destino turístico de Portugal: o Algarve. O posicionamento de Portugal deve ser mais do que sol e mar. O país tem todas condições para ser um destino de saúde e bem-estar (sendo esta uma tendência do turismo, para os próximos 30 anos).



Quais as medidas que anseiam para o setor?

Reforço a ideia da necessidade de aumentar a capacidade logística de modo a acompanhar o crescimento do sector. São necessárias (e urgentes) alternativas ao Aeroporto de Lisboa. Este é um fator crítico, pois os mercados que foram afetados por situações político-sociais estão a “voltar” às escolhas dos turistas.



O que particularmente gostaria de ver “resolvido” durante a sua presidência?

Nesta presidência vamos trabalhar para melhorar as sinergias com outros sectores e organizações - consolidando e unindo esforços com diferentes estruturas organizativas, mesmo noutros sectores (alguns exemplos: Conselho Nacional da Indústria do Golf, Living In, AIPP, Associação Hoteleira Portuguesa, APEMIP, etc). Pretendemos contribuir para que a APR seja um selo de qualidade, uma certificação, uma entidade reconhecida que espelha a segurança e a qualidade, inerentes ao setor do turismo residencial. E, finalmente, queremos ajudar a manter o nível de competitividade deste setor.