Pesquise a sua casa passo a passo

SIGA OS SEGUINTES PASSOS PARA OBTER O SEU RELATÓRIO DE VALOR IMOBILIÁRIO

  • 1 Preencha o formulário abaixo com os dados do fogo cujo valor/renda pretende determinar.
  • 2 Confirme antes de submeter o formulário.
  • 3 Preencha os campos com os seus dados de contacto.
  • 4 Proceda ao pagamento eletrónico do serviço. Cada Relatório tem um preço de 30,00€.
  • 5 Os dados do imóvel serão reportados à Confidencial Imobiliário (Ci) que em 24 horas* devolve um relatório por via eletrónica. Antes de serem enviados, os resultados são validados por um técnico da Ci, recorrendo à análise estatística do mercado / tipologia selecionados.
  • * No caso de pedidos realizados aos sábados, domingos ou feriados, ou após as 18h00, as 24 horas contam-se a partir das 9h00 do 1º dia útil seguinte.

Notícia

Portugal - Angola: Parceria Multilateral

É significativo ouvir os principais responsáveis políticos de Portugal e Angola, dizer que as relações bilaterais vivem um momento particularmente positivo. Foram, efetivamente, dados passos muito expressivos no sentido da estabilização do diálogo entre as mais altas instâncias portuguesas e angolanas.

Opinião



Manuel Reis Campos – Presidente da CPCI – Confederação Portuguesa da Construção e do Imobiliário



Os 35 acordos assinados, nas visitas oficiais do Primeiro-Ministro Português a Angola, em setembro, do Presidente da República de Angola a Portugal, em novembro e do Presidente da República Português, na passada semana, permitiram tranquilizar os agentes económicos e possibilitaram o fortalecimento da parceria estratégica multilateral, para ambos os Países, nos mais diversos domínios de cooperação.



Temos recorrentemente afirmado que as empresas portuguesas querem continuar a pertencer ao futuro de Angola. Estamos a falar de um País irmão, com um enorme potencial, onde as nossas empresas estão implantadas e continuam a perspetivar o mercado angolano como uma prioridade, encarando-o, agora e como sempre, numa ótica de médio e longo prazo.



O processo de regularização das dívidas às empresas nacionais, que está em curso, cria ainda alguma inquietação, no que respeita à contabilização, à forma de pagamento e repatriamento dos valores em dívida. Em todo o caso, é positivo que seja o próprio Governo angolano a afirmar que esta já não é uma preocupação e a assumir o seu pagamento, facto que permite às empresas encarar o futuro com maior segurança e otimismo.



Sempre manifestámos que a nossa ligação a Angola é uma mais-valia para os dois Países, mas também para os restantes Países Africanos, onde estamos presentes, já que, em conjunto, constituímos um relevante vetor de estreitamento da ligação com a própria Europa.



Relembre-se que a União Europeia decidiu “aumentar substancialmente” o investimento no continente africano, com o presidente da Comissão Europeia a falar numa nova aliança África-Europa. A Europa, assume, desta forma, a necessidade de estabelecimento de uma parceria euro-africana e quem melhor que Portugal e os nossos empresários, para a sua concretização, em especial nos países de língua oficial portuguesa, como é o caso de Angola?



Recordo que o volume de faturação das empresas da nossa fileira nos mercados externos supera os 10,8 mil milhões de euros, ou seja, 15,9% das exportações nacionais portuguesas no exterior. Somos o segundo país europeu com maior presença no mercado de construção africano e Angola é o mercado mais expressivo ao representar 28% do total. Este Setor desempenha um papel fundamental na internacionalização da economia nacional e tem todas as condições para liderar este momento de reaproximação entre a Europa e África.