Pesquise a sua casa passo a passo

SIGA OS SEGUINTES PASSOS PARA OBTER O SEU RELATÓRIO DE VALOR IMOBILIÁRIO

  • 1 Preencha o formulário abaixo com os dados do fogo cujo valor/renda pretende determinar.
  • 2 Confirme antes de submeter o formulário.
  • 3 Preencha os campos com os seus dados de contacto.
  • 4 Proceda ao pagamento eletrónico do serviço. Cada Relatório tem um preço de 30,00€.
  • 5 Os dados do imóvel serão reportados à Confidencial Imobiliário (Ci) que em 24 horas* devolve um relatório por via eletrónica. Antes de serem enviados, os resultados são validados por um técnico da Ci, recorrendo à análise estatística do mercado / tipologia selecionados.
  • * No caso de pedidos realizados aos sábados, domingos ou feriados, ou após as 18h00, as 24 horas contam-se a partir das 9h00 do 1º dia útil seguinte.

Notícia

Reabilitação urbana tem de chegar a todo o país

Se olharmos para o mercado da Reabilitação Urbana e para a evolução verificada ao longo destes anos, há que reconhecer que, se há uns anos este mercado era praticamente inexistente e omisso no discurso político, hoje assume-se como uma matéria consensual e amplamente reconhecida como uma das oportunidades que estão ao nosso dispor, enquanto instrumento indutor do crescimento económico e da criação de emprego.

Opinião

Manuel Reis Campos – Presidente da AICCOPN

O debate em torno da Reabilitação Urbana, para o qual muito contribuíram todas as medidas que ao nível legislativo foram sendo concretizadas, mas também iniciativas como a Semana da Reabilitação Urbana, deram maior visibilidade a este mercado e criaram uma dinâmica ao nível do investimento privado, nacional e estrangeiro, que mudou a face das nossas principais cidades.

Hoje, estas cidades figuram entre os melhores destinos para os investidores à escala internacional e reafirmam um posicionamento competitivo do País, que importa manter e, sobretudo, potenciar porque, nunca é demais recordar que, neste âmbito, ainda existe um enorme diferencial que nos separa da restante Europa. Recordo que no nosso País existem 1,5 milhões de fogos que necessitam de obras e o peso da Reabilitação Urbana, na produção do Setor, situa-se nos 10,8%, enquanto que na Europa é de 36,8%.

O atual crescimento da Reabilitação Urbana é um percurso que tem de ser mantido e, mais importante, que deve ser alargado à generalidade do País. Está em causa a competitividade e a coesão territorial, de todo um vasto país, que tem, na Reabilitação Urbana, um vetor estratégico para o seu desenvolvimento sustentado. Projetos como a requalificação de aldeias típicas, a reorientação das populações para novas atividades, a valorização da paisagem rural e do património histórico e natural, são exemplos de medidas que devem ser equacionadas. Esta é uma questão determinante para os chamados territórios de baixa densidade.

Há que promover uma descentralização, também ao nível da reabilitação urbana. Os Municípios precisam de instrumentos ajustados às suas especificidades. São estes que lidam, diariamente, com fenómenos graves como a desertificação, a falta de competitividade territorial, a inexistência de serviços públicos adequados ou o envelhecimento da população.

Na Reabilitação Urbana está uma parte importante desta resposta que é preciso implementar. As cidades e vilas do nosso país, também podem figurar enquanto destinos turísticos de eleição, locais privilegiados para atrair cidadãos estrangeiros e empresas competitivas. Não faltam exemplos positivos, que podem e devem ser replicados.

A coesão social e territorial deve ser um desígnio prioritário e a Reabilitação Urbana constitui um importante vetor para atingir outro patamar de equilíbrio do País. É um veículo privilegiado para atrair investimento privado, fixar populações e gerar a imprescindível atividade económica. As nossas cidades e vilas, com o seu património histórico e cultural, tem se ser encaradas como uma grande oportunidade de desenvolver, de forma harmoniosa e sustentada, o nosso País.