A reabilitação urbana também tem causas sociais

21/07/2020
Casa do Impacto no Convento São Pedro de Alcântara_5.JPG

Casa do Impacto: contribuir para a criação de impacto social positivo

A forma como o Convento de São Pedro de Alcântara soube receber a Casa do Impacto comprova que o passado pode encontrar-se com o presente e projetar o futuro, assegurando não só a preservação do património edificado, mas também apoiando a inovação e o empreendedorismo.

Promovida pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, a reabilitação do antigo Convento de São Pedro de Alcântara permitiu a instalação de um importante hub de empreendedorismo social, um projeto que reúne capacitação, incubação, investimento e avaliação de impacto. Hoje os corredores de azulejos do antigo convento coexistem numa perfeita harmonia com as salas de coworking de onde todos os dias nascem novas ideias que ajudam a construir negócios sustentáveis e capazes de criar impacto social.

A Casa do Impacto é hoje o braço do empreendedorismo da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, tornou-se uma plataforma de referência na inovação e no empreendedorismo social, dinamizadora de uma série de ações, destinada a apoiar projetos que permitam efetivar políticas de responsabilidade social. Funciona como incubadora, aceleradora do ecossistema da inovação e do empreendedorismo social.

Um espaço virtuoso, onde dezenas de empresas contribuem para a criação de impacto social positivo. São entidades agregadas por um objetivo comum: promover e desenvolver soluções inovadoras na resolução de problemas e necessidades sociais e ambientais, de acordo com os valores promovidos pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, para a construção de uma sociedade mais solidária e sustentável.

Com mais de 520 anos de existência, a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa continua atenta aos problemas sociais, adaptando-se às novas necessidades e procurando encontrar soluções e respostas adequadas aos novos problemas.

Exemplo disso é a mais recente edição do Santa Casa Challenge | Extra Covid-19, promovida pela Casa do Impacto, e lançada com o propósito de “criar e adaptar soluções digitais inovadoras capazes de responder às necessidades específicas de idosos em isolamento social em instituições ou em domicílio”. Ally Smart Check-in e SmartAL foram os projetos vencedores desta edição extraordinária do Santa Casa Challenge. Desenvolvida por Thomas Tredinnick, a ideia Ally Smart Check-in, consiste numa solução de monitorização de idosos que usa inteligência artificial, som e movimento para alertar, através de um aplicativo móvel, quando necessitam de assistência. A SmartAL, desenvolvida por Célia Gonçalves e Telma Mota, é uma solução desenvolvida para suportar serviços de Ambient Assisted Living que permite acompanhar, em tempo real, seniores e doentes crónicos, assim como, situações de convalescença ou follow-up pós-hospitalar.

Projeto de Impacto Social da Mitra: para uma cidade mais solidária, inclusiva e diversa

Entre os projetos de reabilitação urbana mais recentes da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa destaca-se o projeto ‘Mitra – Polo de Inovação Social’, em Marvila, Lisboa.

Com uma área superior a 7 mil metros quadrados (ocupados por 11 pavilhões) e situado numa das zonas com maior expansão urbana no concelho de Lisboa, o projeto ‘Mitra – Polo de Inovação Social’ pretende ser um novo polo de inovação, um motor de desenvolvimento na cidade e das suas políticas sociais.

Com abertura prevista para 2021, o projeto ‘Mitra – Polo de Inovação Social’ pretende abranger as várias vertentes – económica, social, ambiental e de empreendedorismo –, o “Lisboa Social” irá disponibilizar às instituições e associações do sector capacidade de instalação, podendo tornar-se o local de trabalho diário de mais de mil pessoas.

Além da localização privilegiada, este projeto fica marcado pela adaptabilidade dos espaços multifuncionais colocados à disposição dos intervenientes, pela componente energética e de sustentabilidade e ainda por se tratar de um espaço que pretende fomentar a intergeracionalidade.

Com este projeto, a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa pretende «dar cumprimento a uma competência central da sua missão estatutária», voltando a afirmar-se como «um elemento ativo e permanentemente comprometido com a economia social» referiu o Provedor da Misericórdia de Lisboa, Edmundo Martinho, durante a apresentação pública do projeto ‘Mitra – Polo de Inovação Social’, em final de setembro do ano passado. Na mesma ocasião também o Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, elogiou a iniciativa que vem responder «a uma necessidade crítica na cidade de Lisboa, que passa por encontrarmos espaços e locais onde instituições de economia social possam desenvolver a sua atividade».