Primeira SIGI Portuguesa é lançada em bolsa

23/06/2020
lisbon-4401269.jpg

A empresa foi lançada pelo Bankinter e pela Sonae Sierrano final do ano passado, e é admitida à cotação na Euronext Access Lisboa esta quarta-feira, dia 24 de junho.

É uma das notícias mais aguardadas pelo mercado imobiliário. O anúncio da criação das SIGI já foi feito há vários anos, mas só agora se concretiza a criação do primeiro REIT português.

A ORES Portugal replica o modelo bem-sucedido da SOCIMI espanhola Olimpo Real Estate, que as duas empresas lançaram no país vizinho em 2017. Com a criação desta SIGI, a ORES pode vir a abranger uma carteira de imóveis sob gestão superior a 500 milhões de euros.

Alberto Ramos, CEO do Bankinter Portugal, considera que «a entrada da ORES em Bolsa demonstra que o Bankinter continua a disponibilizar em Portugal serviços e instrumentos financeiros inovadores, alargando o leque de opções de investimento disponíveis para os nossos clientes e para o público em geral». E considera que «esta operação, pioneira em Portugal, reafirma também o nosso compromisso com o desenvolvimento económico em Portugal e representa um contributo importante para a dinamização de um dos seus setores mais relevantes».

Por seu turno, Alexandre Fernandes, Head of Asset Management da Sonae Sierra, acrescenta que «a criação da primeira SIGI em Portugal e a sua subsequente entrada em bolsa são passos muito importantes para a Sonae Sierra, enquadrando-se na nossa estratégia de aumento de exposição a novos veículos de investimento imobiliário. Ficamos muito satisfeitos com esta iniciativa e com a parceria estratégica com o Bankinter, que vai certamente permitir dinamizar o mercado de capitais e o mercado de investimento imobiliário português».

Isabel Ucha, CEO da Euronext Lisboa, completa felicitando «a ORES Portugal e a Sonae Sierra, juntamente com o Bankinter, pela admissão à negociação em bolsa da primeira empresa de investimento imobiliário, sob o novo regime SIGI, no Euronext Access! Esta admissão demonstra o contínuo compromisso e confiança dos parceiros na economia Portuguesa. Esperamos que esta admissão permita à empresa aplicar a sua estratégia de investimento em Portugal, inovando e expandindo o seu negócio».