Paulo Loureiro
Paulo Loureiro
CEO, Bondstone

Imobiliário é uma “reserva de valor” para os investidores

25/07/2020

A paralisação de toda a economia foi sem dúvida um “balde de água fria” para o mercado imobiliário, que atravessava uma fase de grande dinamismo e será forçado a travar a fundo nos próximos meses.

Um popular conselho no meio financeiro aplica-se ao momento que vivemos: “don’t try to catch a falling knife”. Não sendo possível prever com rigor a procura futura nos vários segmentos nem a evolução das rendas, preços de saída e custos das operações, a que se adiciona a incerteza sobre a disponibilidade dos bancos e dos investidores internacionais para financiarem novas operações, estamos certos que muitas transações serão canceladas e que o lançamento de novos empreendimentos será adiado.

Quanto aos projetos em curso, acreditamos que as transações mais recentes de “value-add” de escritórios (algumas delas fechadas com prémios de risco muito reduzidos) e os empreendimentos residenciais lançados nos últimos meses deverão ser os mais afetados.

O efeito negativo desta crise durará até que o mercado se volte a reequilibrar e seja possível perceber o seu real impacto nos clientes e nos investidores. É habitual dizer-se que os mercados “utilizam as escadas para subir e o elevador para descer”, pelo que a recuperação nunca será tão rápida como a queda.

No entanto, estamos certos de que surgirão excelentes oportunidades de investimento a médio-prazo em diferentes segmentos, que poderão recompensar as empresas melhor preparadas, com capacidade de investimento e disponibilidade de adaptação a um novo contexto.

Adicionalmente, acreditamos que os “fundamentals” de Portugal se manterão e que historicamente o mercado imobiliário é, em momentos de crise, uma “reserva de valor” para os investidores. Tal como disseram duas mentes brilhantes, “no meio da dificuldade encontra-se a oportunidade” (Albert Einstein) e “no meio do caos há sempre uma oportunidade” (Sun Tzu). Esta crise terminará mais tarde ou mais cedo... Até lá, mantenhamo-nos saudáveis e otimistas!