Aniceto Viegas
Aniceto Viegas
Diretor-Geral, Avenue

Repensar a conceção dos espaços

25/07/2020

A situação de pandemia que vivemos surgiu de forma súbita e obrigou-nos a reagir rapidamente em todas as áreas da sociedade. No setor imobiliário, esta mudança faz com que promotores e utilizadores, reflitam sobre os espaços onde vivemos e onde trabalhamos. Seria precipitado afirmar que as nossas casas e os nossos escritórios terão de mudar, mas deverão seguramente adaptar-se às novas tendências e às novas preocupações.

Com a necessidade de trabalhar e estudar a partir de casa, e durante um tempo mais prolongado do que o habitual, a compartimentação interior deve ser pensada para que todos possam usufruir da sua estadia em casa. Este fenómeno não obriga forçosamente a que tenhamos uma área maior, mas poderemos ter uma distribuição e uma decoração diferentes. Ter uma zona exterior, como uma varanda ou um jardim passou a ser uma mais valia.

As empresas também começaram a refletir sobre a ocupação dos seus escritórios, reduzindo a densidade de ocupação dos mesmos, ou seja, terem menos pessoas por m2. Por outro lado, foi necessário criar zonas de isolamento e circuitos de circulação cada vez mais contactless com as superfícies, quer sejam portas, corrimãos ou acessos.

Em conclusão, a pandemia não mudou o mercado, mas obrigou a repensar a conceção dos espaços onde vivemos e trabalhamos para incluir uma realidade que há bem pouco tempo consideraríamos improvável.