Carlos Suaréz
Carlos Suaréz
Diretor-Adjunto, Victoria Seguros

Um novo paradigma de saúde no edificado

25/07/2020

Trata-se de um setor fundamental da economia, cujos principais players estão a trabalhar em programas de retoma e soluções inovadoras que permitam ir ao encontro de respostas ajustadas, com vista a vencer este novo desafio. Não nos podemos esquecer que a solução para esta pandemia, ou seja, para a nossa saúde, da nossa família e de todos, foi ficar em casa.

Assiste-se a um novo paradigma de saúde no edificado.

Acreditamos que este binómio terá um elevado impacto e será catalisador de muitas mudanças positivas. Quanto às mudanças do mercado imobiliário de Lisboa, vai depender dos segmentos em causa, mas admite-se que parte possa experimentar alguma adaptação, por exemplo, como consequência de uma redução do turismo, poderá aumentar a oferta de imoveis que estariam a ser utilizadas como Alojamento Local e que entram no mercado, como arrendamento de longo prazo ou venda. No segmento alto, parecem existir sinais claros de liquidez, confiança, apetite e capacidade de absorção, em resposta a um possível aumento de oferta de imoveis em Lisboa. Assim sendo, o ajustamento de preços poderá vir a ser ligeiro, até mesmo cirúrgico, em função das zonas. Segmentos de nicho, excetuando uma parte do mercado de escritórios, não se espera que venham sofrer alterações significativas em termos de procura e nível de preço. O segmento de luxo tende, duma forma geral, a ser imune às crises, pelo que admitimos que o mercado imobiliário de Lisboa, nesse segmento, irá manter-se (ou até incrementar), se a procura dos investidores estrangeiros por Portugal não se degradar.